domingo, 29 de janeiro de 2012

Mariene de Castro faz show no projeto Xangô Rezado Alto, nesta quinta (02)







Encerrando essa primeira fase do projeto Xangô Rezado Alto, realizado pela Universidade Estadual de Alagoas, com recursos do Fundo Nacional de Cultura, nesta quinta, às 21:30h, a cantora baiana Mariene de Castro vem a Maceió pela primeira vez apresentando seu show "Santo de Casa" do CD ao vivo lançado em 2010. Mariene de Castro encerrará a programação artística do projeto que celebra a memória do centenário do "Quebra de 1912", e que levará ao palco, montado na Praça dos Martírios, diversos grupos, cantores, cantoras com identificação com a a cultura afrobrasileira.




Pelo palco e pela praça passarão grupos de afoxé, Jurandir Bozo e cocos de roda, emboladores, hip hop, bois de carnaval, capoeira, maracatu, Igbonan Rocha, Wilma Araújo, Vibrações e Orquestra de Tambores, dentre outros, que se apresentarão na quarta (01) e na quinta (02). Veja a programação completa clicando aqui.

E para encerrar essa grande celebração a baiana que já desponta como um grande talento da MPB e o samba: Mariene de Castro.



Mariene de Castro


“Eu canto samba porque vivo a cultura de minhas raízes e sou apaixonada pela cultura popular”.

Essa é a imagem que Mariene de Castro transparece, uma cantora comprometida com a valorização da Cultura popular, que resgata a história de um povo.

No seu repertório, a sambista interpreta do samba ao samba de roda, da marujada aos ternos de reis, do repente ao ijexá, passando pelo côco, maracatu e ciranda, trazendo-os para a sua Própria linguagem musical.

Sua preferência sempre foi pelas músicas que lhe trazem algum sentido.
“Meu intuito é mostrar que essa música está viva, mostrar a riqueza dos nossos compositores, a beleza Do samba da Bahia, suas particularidades”, afirma Mariene, que começou a cantar aos 13 anos, e desde Muito pequena sambava na frente do espelho vestida de baiana, cheia de pulseiras. 

“Eu já era uma sambista e não me dava conta disso”, lembra.






Mas foi no ano 1996, enquanto apresentava seu primeiro show solo, no Pelourinho, que seu talento Começou a ser reconhecido pelo público. Dois produtores franceses, que estavam na platéia, a convidaram para fazer uma turnê na França com o show Iluminada.

Depois de se apresentar em mais de 20 cidades francesas, onde foi aclamada pela crítica especializada e comparada a Edith Piaf, cantora francesa reconhecida internacionalmente, Mariene voltou ao Brasil, onde se apresentou nos palcos importantes da capital baiana como o Teatro ACBEU (Projeto Terça da Boa Música), Concha Acústica do Teatro Castro Alves (Projeto Sua Nota é um Show de Solidariedade), Sala Principal do Teatro Castro Alves (Mercado Cultural) e no Teatro XVIII com a temporada do show A Força que Vem da Raiz. No interior do estado, cantou no Teatro Dona Canô, em Santo Amaro, e está sempre presente no Festival de Inverno de Lençóis.



Com uma forma peculiar de interpretar e uma voz firme e singular, Mariene foi firmando seu nome e conseguiu destaque no cenário musical após conquistar em 2004, o Prêmio Braskem de Música e ter a oportunidade de gravar seu primeiro CD “Abre Caminho”.
Na estréia do trabalho a artista conseguiu vender mais da metade das cópias disponíveis para o mercado. No ano seguinte, o trabalho foi premiado como o melhor disco regional no Prêmio TIM de Música.

No mesmo ano, a artista comandou a Lavagem da Igreja de Santa Madalena em Paris, uma festa espelhada na Lavagem do Senhor do Bonfim.



Quem acompanha o trabalho de Mariene sabe que ela faz parte de um seleto grupo de cantoras-intérpretes e prova disso é o reconhecimento da crítica e de artistas como Beth Carvalho que em 2006 a convidou para participar da gravação do último Dvd/Cd Beth Carvalho “Canta o Samba da Bahia”, quando foi considerada uma das mais gratas revelações da música local.
Em 2008 fez uma turnê pela Espanha e cantou na trilha do longa metragem Mujeres Del Mundo, com a Música “Elas Contam”, e na trilha sonora do filme “Ó Paí,Ó”, onde cantou a música “Ilha de Maré”.
No dia 29 de maio de 2010, Mariene lançou seu segundo álbum, “Santo de Casa – Ao Vivo”, com a sala principal do Teatro Castro Alves completamente lotada. “Esse CD ao vivo é o resultado do Projeto Santo de Casa que acontece há seis anos. Eu adoro ver o povo cantando as minhas
Músicas e sempre quis registrar isso. É o reconhecimento do meu trabalho e uma demonstração de que o santo da minha casa faz milagres”, conta. Com 15 faixas, o CD foi produzido pela própria artista, em parceria com o músico Gerson Silva, com direção musical de Jurandir Santana e conta com participações especiais de Dona Nicinha de Santo Amaro, Rita da Barquinha, Ganhadeiras de Itapoan, Grupo Pim e Vozes da Purificação.
Com 15 anos de carreira, vários prêmios de reconhecimento e uma carreira de sucesso, uma das maiores gravadoras do Brasil, a Universal Music, abriu os olhos, ou melhor, os ouvidos, para o talento desta grande sambista ao convidá‐la para fazer parte do seu casting de artistas, ficando responsável pela distribuição nacional e internacional do CD e DVD ao vivo “Santo de Casa”.
Resgatando tradições, amadurecendo como artista e cantando o que gosta, Mariene de Castro lançou o DVD "Santo de Casa – Ao Vivo", e em seguida a artista pretende lançar um CD com composições de Roque Ferreira, compositor com o qual mais se identifica, predominante de sua discografia e de seus shows. “Roque pra mim é um gênio, um mestre, um homem raro, que me inspira e me emociona. Foi quem me batizou e hoje posso dizer que tive a sorte de conviver. Mas se tem uma alegria que tenho guardada em mim é de ouvir dele que sou a maior cantora do Brasil. Isso eu guardarei pra sempre dentro de mim e na história da minha vida”, conta.
Essa é a baiana Mariene de Castro, uma artista que valoriza a religiosidade e a cultura popular, que acredita que a partir do momento que as pessoas passarem a ter acesso ao tipo de música que ela abraçou, um movimento novo vai acontecer na música brasileira.

Programação completa

Dia 01 de fevereiro

Cortejo - da Praça da Assembleia, pela Rua do Sol, até a Praça dos Martírios
14h – Concentração na Praça D. Pedro II  (Praça da Assembleia), no Centro
15h - Saída percorrendo a Rua do Sol até a Praça Marechal Floriano Peixoto (Praça dos Martírios), no Centro
Participantes:
Federações e Comunidades Terreiros de Alagoas
Coletivo AfroCaeté
Boi Alegria (Zona Sul)Afoxé Oju Omim Omorewá
Boi Xique-xique
Maracatu Axé Zumbi
Baque Alagoano
Afoxé Odo Iyá
Airê Iorubá
Projeto INAÊ
Escola de Samba Girassol 
Maracatu Nação Acorte de Airá

Praça dos Martírios
17:30h - Assinatura, pelo Governador do Estado Teotônio Vilela Filho, do Ato de pedido oficial de perdão do Governo de Alagoas às comunidades terreiros e a todo o povo de Alagoas
18h - Hip hop - Guerreiros Quilombolas
19h – Afoxé Oju Omim Omorewá


20h – Wilma Araújo “70 anos de Clara Nunes”



21h- Igbonan Rocha em “Coisa de Nêgo”, com participação especial da Escola de Samba Girassol

22h- Orquestra de Tambores
23h- Vibrações

Dia 02 de fevereiro

Praça dos Martírios 
17h- Banda afro Gifá Lomin

17:30h– Malungos do Ilê            
18h- Maracatu Raiz da Tradição
18:30h- Projeto INAÊ
19h - Guerreiro Vencedor Alagoano (Mestre Juvenal)    
19:30h-Afoxé Odo Iyá
20:30h- Jurandir Bozo com o show “Pros pés”, com participação dos grupos de coco de roda “Xique-xique”, do Jacintinho e “Pau-de-arara”, da Pitanguinha
21:30h- Mariene de Castro (BA)

Serviço:
Xangô Rezado Alto
Dia 01/02
Cortejo a partir das 14h, da Praça da Assembleia
Praça dos Martírios
Assinatura do pedido oficial de perdão do Governo do Estado
Apresentações artísticas
Dia 02/02
Praça dos Martírios
17h- Apresentações artísticas locais
21:30h - Show com Mariene de Castro
Informações: (82) 3315-7892

Um comentário: